Habiliades Pessoais

Compartilhar em:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Imagem: Ava Sol | Unsplash.

Conheça os principais fatores de risco para constipação

O ato de “”ir aos pés” pode tornar-se bastante complexo na pessoa acamada, dependente, imobilizada. O cuidador precisa estar atento ao habito intestinal da pessoa e prover o suporte necessário pois quanto maior o período de constipação, maior a probabilidade de compactação/endurecimento das fezes em fecaloma que após sua remoção podem evoluir para incontinência fecal ou urinária.  Em 90% dos casos as causas da constipação são funcionais, neste caso busque primeiramente estes fatores de risco:

Fatores de risco Intervenção
1- Alimentação pobre em fibras; Converse com a nutricionista em caso de dieta por sonda ou insira na alimentação alimentos laxantes ao menos duas vezes ao dia (abacate, aveia, azeite, azeitonas, mamão, verduras em folhas, alimentos integrais, ameixa preta, etc.
2- Baixa ingesta de água; A quantidade de água deve ser definida pelo peso corporal porém o ideal é que fique em no mínimo 8 copos ou 2 litros por dia.
3- Ansiedade e depressão Estimule a saída do leito e atividade física
4- Falta de rotina de evacuação diária Oferte um momento diário de aproximadamente 15 minutos – de preferência após o café da manhã- para a pessoa sentar no vaso afim de estimular o intestino. Pode ler algo ou assistir algo enquanto faz esta rotina.
5- Falta de motilidade Os exercícios fisioterápicos auxiliam aqui. Também é possível fazer massagem abdominal em sentido horário.
6- Efeito colateral a medicação Aqui o ideal é conversar com a equipe de saúde afim de rever medicações ou inserir um regulador intestinal natural.
Os procedimentos de lavagem intestinal e remoção manual, devem ser discutidos com a equipe de saúde.

Fonte: Reynaldo Gomes Oliveira. Blackbook – Enfermagem. Belo Horizonte. Blackbook editora, 2016. Pag 433.