Políticas Públicas

Compartilhar em:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Imagem: Ministério da Saúde | Flickr.

O Brasil é um país de educação historicamente autoritária. Desde sua colonização até seus métodos de educação atuais. Nesse contexto a sociedade está acostumada em ter na figura do profissional de saúde uma autoridade. O programa de educação popular em saúde vem para redirecionar a construção do conhecimento não mais no formato vertical e sim no formato horizontal, onde os conhecimentos são valorizados.

Reconhecem-se, pela Educação Popular em Saúde portanto, como intencionalidade, a autonomia das pessoas e o estímulo ao pensamento crítico, ao exercício da cidadania participativa de forma positiva e coletiva e à superação das desigualdades sociais e de todas as formas de discriminação, violência e opressão.

O ACS, tem o potencial necessário para criar espaços de reflexão, aprendizado e criatividade capazes de promover condições para o fortalecimento da consciência crítica e organizativa, ampliação e criação de diálogos, trocas de experiências e saberes, possibilitando uma leitura sobre a vida que apreenda a realidade social como determinante do processo saúde doença.

Para isso é necessário que absorva ao máximo o conhecimento em saúde, para que possa integrar no meio social melhorias que realmente sejam efetivas na vida diária.

REFERÊNCIAS

Brasil. Ministério da Saúde. Caderno de Educação popular em saúde. Brasília. DF. 2007. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderno_educacao_popular_saude_p1.pdf